Existe diferença entre Definição e Conceito?

Por diversas vezes me deparei com artigos que apontavam a diferença entre Definição e Conceito. Confesso que este assunto ainda me provoca certa inquietação, seja pela diversidade de impressões que encontrei, seja pela real necessidade de estabelecer esta distinção semântica. Contudo, sem ingressar em questões filosóficas mais apuradas, creio que é possível afirmar que existe uma diferença sutil entre Definição e Conceito. 
Na Definição, tenta-se dizer o que algo é a partir da determinação da singularidade do objeto, ou seja, busca-se descrever aquilo que o objeto investigado tem de específico e distinto em relação aos demais. Uma Definição descreve a qualidade, característica ou substância sem a qual o objeto deixa de ser o que “é”, em qualquer circunstância. De certa forma, trata-se de uma caracterização endógena e pretensamente universal do objeto pesquisado. 
O Conceito também é uma tentativa de delimitação, porém, neste caso há um esforço em estabelecer “o ponto de vista” por meio do qual o objeto é reconhecido. Busca-se determinar um “contexto” para delinear o objeto. Ou seja, no Conceito, algo “é” a partir de um determinado meio físico, social ou teórico. Ao estabelecer um Conceito, o pesquisador descreve o objeto em razão e a partir de um entre inúmeros cenários contextuais possíveis.  Trata-se de uma caracterização exógena do objeto, válida apenas diante da singularidade do universo pesquisado. 
Prof. Alejandro Knaesel Arrabal

20 de fevereiro de 2013

1 comentários:

luiz disse...

definição: é a identificação da sua essência sem que haja interferência do meio. Conceito: é a identificação da sua essência com percepções múltiplas com interferência do meio, sujeito à mudança.