[Livro] Filosofia das ciências

Título:
Filosofia das ciências

Autor:
Pascal Nouvel

Editora:
Papirus

Edição:
1ª (2013)

ISBN:
978853081046-7

Sinopse:
"Como evoluíram as relações entre ciência e filosofia? O que é ciência e o que é técnica? Quais são os principais autores e as teorias marcantes da filosofia das ciências? A tradição antiga entendia ciência e filosofia como uma única disciplina. No entanto, a revolução científica do século XVII efetuou uma distinção irremediável entre elas. No século XIX, sobretudo com Augusto Comte, a ciência chega a ser apresentada como o futuro da filosofia - o pensamento positivista, supostamente, substituiria a especulação metafísica. Na mesma época surge uma corrente que propõe uma filosofia das ciências, a qual lançaria um olhar mais crítico sobre a ciência. Essa obra apresenta um panorama histórico dessa corrente, desde suas origens até as numerosas ramificações contemporâneas. Além disso, analisa os principais textos de diversos pensadores, como Francis Bacon, David Hume e Claude Bernard."

Mais informações:
http://www.papirus.com.br/

19 de setembro de 2014

Estudante perde TCC salvo em pendrive após furto


"... não estou nem aí para o dinheiro que levaram.
Estou mais preocupada com o meu TCC ...
"

"Um dos trabalhos mais importantes da graduação da estudante de administração de empresas Maria Helena Barbosa Isidoro, 33 anos, foi por água abaixo. Na noite deste domingo (31), ela havia estacionado o carro em frente a uma igreja, no Jardim Bela Vista, em Bauru. Quando retornou, constatou que a porta do veículo foi danificada e que a bolsa, o notebook e o pendrive com o TCC tinham sumido.
Dentro da bolsa, havia R$ 750,00 em dinheiro, documentos pessoais, cartões bancários, além de um pendrive azul com chaveiro da Claro, único dispositivo onde ela salvou um dos trabalhos mais importantes da graduação. 'Eu não estou nem aí para o dinheiro que levaram. Estou mais preocupada com o meu TCC. Ele estava quase pronto e eu tinha de entregar até o fim do ano. E agora?', lamenta a estudante.
Contudo, esse não foi o único prejuízo de Maria Helena. Ela havia salvado o relatório de estágio, outro trabalho necessário para a conclusão da graduação, apenas no notebook, que também foi levado junto ao carregador. Desesperada, ela foi até a Central de Polícia Judiciária (CPJ), onde registraria um boletim de ocorrência (BO) com a esperança de recuperar, pelo menos, o pendrive."

Matéria publicada em 31 de agosto de 2014 no site jcnet.com.br (Reprodução da matéria de acordo com o artigo 46, I, a da Lei 9610/98)

18 de setembro de 2014

Estudos pontuais sobre o conceito de método e teoria no paradigma da complexidade de Edgar Morin

Tipo:
Artigo publicado em revista científica
REDSIS - Revista Didática Sistêmica
ISSN 1809-3108
(Consulte Qualis aqui)
Título:
Estudos pontuais sobre o conceito de método e teoria no paradigma da complexidade de Edgar Morin
Autores:
ARRIAL, Luciana Roso de (Lattes)
CALLONI, Humberto (Lattes)
Resumo:
"Este artigo é o resultado parcial da investigação acerca do entendimento da noção de método atribuída ao filósofo francês Edgar Morin, principalmente em sua obra O Método1: A natureza da Natureza. Com esse estudo inacabado pretendemos suscitar questões e acolher para o debate contribuições para o fiel entendimento do conceito de método proposto pelo filósofo em inúmeras obras, conferências, artigos e, naturalmente, no conjunto de O Método. Trata-se de perceber a noção de método como um conceito presidido pelo paradigma da complexidade, isto é, como um conceito que se traduz pelas experiências entre o vivido e o refletido, entre o sujeito investigador e o objeto investigado numa proposta de interações recíprocas autoconstituintes entre a descoberta (teoria) e o caminho da descoberta (método) do conhecimento ou, se quisermos, do novo, do inédito, do inusitado. Assim, caminho, caminhar e caminhante constituem-se em uma unidade compreensiva lógica e dialogicamente como metáforas evocativas do sentido que o método é compreendido pela complexidade e para o qual concorre, igualmente, a compreensão do conceito de teoria."
Palavras-chave:
Método. Teoria. Complexidade. Edgar Morin.
Referência:
ARRIAL, Luciana Roso de; CALLONI, Humberto. Estudos pontuais sobre o conceito de método e teoria no paradigma da complexidade de Edgar Morin. REDSIS - Revista Didática Sistêmica, v. 11, p. 50-63, 2010. Disponível em: <http://www.seer.furg.br/redsis/article/view/1661>. Acesso em: 17 set. 2014.

Para refletir #19 - In-sufi-ciência


17 de setembro de 2014

I Concurso de Artigos Científicos - EGEM

"O concurso de artigos científicos é uma iniciativa da Federação Catarinense de Municípios - FECAM e Escola de Gestão Pública Municipal – EGEM, em parceria com a editora Fórum, com o objetivo de incentivar a pesquisa e o estudo de temas ligados a 'Gestão Pública' [Subtemas: Indicadores - Desafios e Oportunidades - Práticas de Gestão], a 'Finanças e Economia Municipal' [Subtemas: Arrecadação - Despesas Públicas - Tributação Municipal] e ao 'Direito Público Municipal' [Subtemas: Licitação - Contratos administrativos -Servidores Públicos] no estado de Santa Catarina."

Premiação:
Os dez melhores colocados terão seus artigos publicados pela editora Fórum e os três primeiros, além da publicação, apresentarão seus artigos no 11º Congresso Catarinense de Secretários de Finanças, Contadores Públicos e Controladores Internos Municipais, e concorrerão a premiação deste concurso após nova avaliação.

1º Colocado:  Publicação do artigo, R$ 3.000,00 e iPad.
2º Colocado:  Publicação do artigo e R$ 3.000,00.
3º Colocado:  Publicação do artigo e R$ 1.500,00.

Inscrições:
Até 20 de dezembro de 2014.

Informações:
http://eventos.fecam.org.br/

16 de setembro de 2014

O pensamento complexo e desafios aos processos investigativos

Tipo:
Artigo publicado em revista científica
Revista Brasileira de Ciências Ambientais
ISSN 2176-9478
(Consulte Qualis aqui)
Título:
O pensamento complexo e desafios aos processos investigativos
Autores:
ALVAREZ, Aparecida Magali de Souza (Lattes)
PHILIPPI JR., Arlindo (Lattes)
ALVARENGA, Augusta Thereza de (Lattes)
Resumo:
"No presente trabalho os autores se propõem a uma reflexão sobre a contribuição que o pensamento complexo propicia, quando se considera seus fundamentos a partir de alguns de seus pilares. Tal contribuição se prende ao fato de que tais discussões que se colocam em nível epistemológico iluminam práticas de pesquisas de diferentes naturezas, ou seja: aquelas de natureza epistemológica, ou metateórica propriamente ditas; aquelas consideradas científicas, que compreendem investigações complexas, com amplo alcance teórico; as de nível operacional, que se circunscrevem ao tratamento de indicadores denominados complexos."
Palavras-chave:
Complexidade. Pensamento Complexo. Epistemologia. Pesquisa Científica. Interdisciplinaridade. Ciências Ambientais.
Referência:
ALVAREZ, Aparecida Magali de Souza; PHILIPPI JR., Arlindo; ALVARENGA, Augusta Thereza de. O pensamento complexo e desafios aos processos investigativos, Revista Brasileira de Ciências Ambientais, n. 18, p. 67-76, dez. 2010. Disponível em: <http://www.rbciamb.com.br/images/online/RBCIAMB-N18-Dez-2010-Materia07_artigos262.pdf>. Acesso em: 14 set. 2014.

15 de setembro de 2014

[Livro] Ciência sem dogmas

Título:
Ciência sem dogmas

Autor:
Rupert Sheldrake

Editora:
Cultrix

Edição:
1ª (2014)

ISBN:
978853161272-5

Sinopse:
"O maior delírio do pensamento científico atual é a crença de que ele já compreende a natureza da realidade. As perguntas fundamentais foram respondidas, resta apenas esmiuçar detalhes. Neste livro, o Dr. Rupert Sheldrake, um dos cientistas mais inovadores da atualidade, mostra que pressuposições cristalizadas em dogmas estão restringindo a ciência. A 'visão científica do mundo' transformou-se num sistema de crenças. A realidade é apenas material ou física. O mundo é uma máquina composta por matéria inerte. A natureza não tem propósito. A consciência nada mais é do que atividade cerebral. O livre-arbítrio é uma ilusão. Deus existe apenas como uma ideia na mente humana, aprisionada dentro do nosso crânio. Sheldrake analisa cientificamente esses dogmas e mostra de maneira persuasiva que a ciência estaria melhor sem eles: mais livre, mais interessante e mais divertida. Como ele mesmo diz: 'Este livro é pró-ciência. Quero que ela seja menos dogmática e mais científica. Acredito que a ciência será regenerada quando se libertar dos dogmas que a reprimem.'"

Mais informações:
http://www.pensamento-cultrix.com.br

31 de agosto de 2014